文档操作

APL de Base Mineral Cerâmico-Oleiro de Iranduba

Dados Gerais

Nome do APL: APL de Base Mineral Cerâmico-Oleiro de Iranduba
Setor/Atividade: Cerâmica Vermelha
Setor Produtivo: Extração, Beneficiamento e Comercialização
Cidade Polo: Iranbuba
Nucleo Estadual: Núcleo Estadual de Arranjos Produtivos Locais no Amazonas – NEAPL/AM
CNAE Classe: 2342-7
Subclasse: 2342-7/02
Seção: C
Grupo: 234  
Ano de Oficialização do APL:
Instituição Responsável: Núcleo Estadual de Arranjos Produtivos Locais no Amazonas – NEAPL/AM

Municípios Integrantes

Iranduba
Itacoatiara
Manacapuru
Parintins
Urucará

Instituições de Apoio


Governo Estadual/Municipal:

SEPLAN - Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico

SEPROR - Secretaria de Estado da Produção Rural

SECT - Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia

FAPEAM - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas

SDS - Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e vinculadas

ADS - Agência de Desenvolvimento Sustentável 

SETRAB - Secretaria de Estado do Trabalho 

UEA - Universidade do Estado do Amazonas

IPAAM - Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas

IPEM - Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas

SEMDEL/PMM - Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico Local

ITEAM - Instituto de Terras do Estado do Amazonas

SEMAI/PMI - Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Iranduba/ Prefeitura Municipal de Iranduba

SEMIC - Secretaria Municipal de Indústria e Comércio

Prefeitura Municipal de Manacapuru

AAM - Associação Amazonenses de Municípios


Governo Federal:

SUFRAMA - Superintendência de Desenvolvimento da Zona Franca de Manaus

UFAM - Universidade Federal do Amazonas 

IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

CPRM - Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais

DNPM - Departamento Nacional de Produção Mineral

Petrobras – Petróleo Brasileiro S.A

CEFET/AM - Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas

Sistema S:

SEBRAE/AM - Serviço de Apoio à Micro e Pequenas Empresas do Amazonas

SESCOOP/OCB -  Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo/Organização das Cooperativas Brasileiras

SESI/IEL - Instituto Euvaldo Lodi

SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial


Instituições financeiras:

Banco da Amazônia

AFEAM - Agência de Fomento do Estado do Amazonas

BB - Banco do Brasil

CEF - Caixa Econômica Federal

Setor empresarial:

FIEAM - Federação das Indústrias do Estado do Amazonas

CIEAM - Centro da Indústria do Estado do Amazonas

ACERAM - Associação de Ceramistas do Estado do Amazonas

Sistema C&T:

FUCAPI - Fundação Centro de Análise, Pesquisa Industrial e Inovação Tecnológica

Representação dos trabalhadores:

CORECON – Conselho Regional de Economia;
CREA – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia,
APROGAM – Associação dos Geólogos do Estado Amazonas.

Tipo de Governança

Comitê Gestor ou Plataforma Tecnológica (  X  )
Sindicato ou Cooperativa (    )
Prefeitura ou Governo (    )

REPRESENTANTE

NEAPL/AM - Núcleo Estadual de arrnjos produtivos locais (Coordenadoria Executiva): neapl@seplan.am.gov.br
Marconde Noronha - Coordenador Departamento de Desenvolvimento Regional : mnoronha@seplan.am.gov.br

 

NUCLEO ESTADUAL

NEAPL/AM - Núcleo Estadual de Arranjos Produtivos Locais no Amazonas

CARACTERÍSTICAS DO APL

Na década de 70 o setor cerâmico-oleiro estava concentrado na região de Manaus. O setor produzia tijolos de dois, quatro e oito furos, tijolos maciços, combogó (elementos vazados), telha dos tipos “canal” e “Marselha”, tubos cerâmicos de variadas polegadas de diâmetro e conexões, porém, com a entrada de chapas de amianto, tubos plásticos e artefatos importados reduziram drasticamente a diversidade do setor, restringindo a quase que unicamente, na produção de tijolos de oito furos para a construção civil.

Somente a partir da última década ressurgiu a indústria de telhas e tijolos maciços. A partir dos anos 80 iniciou a migração das principais olarias existentes em Manaus, forçada pela expansão urbana para a região de Cacau-Pirêra (margem direita do rio Negro), hoje distrito de Iranduba, local onde já estavam instaladas algumas indústrias cerâmicas, porém, ainda permaneceram em Manaus apenas algumas olarias de pequeno porte.

Muitos outros fatores vieram contribuir para o deslocamento desse setor industrial: a) existência de extensos depósitos de matéria-prima argilosa os quais vêm sendo explorados desde o final do século XIX; b) manutenção de proximidade com o centro consumidor de Manaus; c) existência de incentivos fiscais para as vendas destinadas à Zona Franca de Manaus e instalação de empresas no interior; d) elevada oferta de mão de obra não especializada e barata; e) existência de incentivos financeiros através de financiamentos públicos de baixo custo; f) expansão da malha urbana de Manaus e consequente valorização dos seus imóveis, além do maior rigor do controle ambiental na capital.

Novos pólos cerâmico-oleiros foram criados a partir de então, cuja expansão aconteceu na sede de Iranduba e margens do rio Ariaú, adentrando ainda o município de Manacapuru. A produção do pólo cerâmico/óleiro de Iranduba/Manacapuru, está estreitamente vinculada à demanda da capital Manaus, que concentra quase a metade da população e mais de 90% da renda do Amazonas, e a existência das reservas de argila localizadas nos Municípios de Iranduba e Manacapuru, conforme dados da CPRM – Serviço Geológico do Brasil e do Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM.

As indústrias cerâmicas da região Manacapuru – Iranduba constituem Aglomerados Produtivos que juntos poderão evoluir para a formação de um único Arranjo Produtivo Local – APL. É composta pelos pólos cerâmicos do Ariaú, Cacau-Pirêra e Iranduba, onde se encontram instaladas 27 empresas cerâmicas, das quais mais da metade está instalada no Pólo de Cacau-Pirêra, na margem direita do rio Negro, frontal à sede municipal de Manaus. O segundo maior pólo cerâmico é aquele de Ariaú com 37% das empresas da região, e o menor deles, composto por duas empresas é aquele de Iranduba,
único pólo produtor de telhas do Estado.

A área de estudo abrange em parte seis municípios (Manaus, Iranduba, Manacapuru, Careiro da Várzea, Manaquiri e Careiro do Castanho) tendo como centro Manaus, a maior cidade em expansão econômica e populacional da Amazônia, que abriga a sexta maior renda per capita do país. Estes municípios perfazem no total uma superfície de 33.644 km2 com população estimada para 2006 pelo IBGE de 1.871.257 habitantes.

Para o presente estudo destacamos a Região que abriga os municípios de Manacapuru e Iranduba, onde estão localizados os principais pólos cerâmicos estruturais do Estado. Estes municípios ocupam uma área de 9.544 km2, com população estimada pelo IBGE para 2006 de 127.470 habitantes e uma renda per capita de apenas R$ 2.878,00, anuais. Em 2004 o PIB foi de apenas R$ 344,16 milhões. A predominância econômica está no setor de serviços (administração pública), oriundo de repasses de recursos federais às Prefeituras, por se tratar de municípios de insuficiente arrecadação.

A área em estudo compõe a Região Metropolitana de Manaus (Lei), principal mercado consumidor da indústria cerâmica no Amazonas. A Capital tem a maior densidade demográfica do estado e renda per capita considerada elevada para o país. Nesta região o dinamismo econômico é pujante. Com um PIB em 2004 de R$ 29,68 bilhões, relacionado principalmente ao setor industrial, que concentra grande parte da produção de bens eletroeletrônicos do país.

APL BASE MINERAL – PÓLO CERÂMICO-OLEIRO
Projetos em andamento

O convênio (SEPLAN-AM / SEBRAE-AM) tem por objeto a conjugação de recursos técnicos e financeiros dos partícipes visando a contratação de consultoria para a elaboração de um estudo de viabilidade para a implantação de uma Central de Processamento de Resíduo Sólido Madeireiro para fornecimento de combustível de queima para empresas do Pólo Oleiro-Cerâmico de Iranduba e Manacapuru no AM.

Reutilização dos Resíduos de Madeira dos Processos Industriais do PIM como Combustível nas Indústrias Cerâmicas do Estado do Amazonas. (Projeto Piloto: ACERAM e YAMAHA) e Construção de uma Central de Resíduos.

VENDAS

Principais Destinos de Venda no Mercado Interno
Manaus

 

Clique aqui para ver aquivo completo.

Rede Brasileira de Informação dos Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral
SAS Quadra 05 Lote 06 Bloco H 6º andar sala 608. CEP 70070-912, Brasília - DF
Portal mantido por: IBICT
Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia