Mineração impulsiona crescimento anual de 8,5% do mercado de explosivos no País

O mercado de explosivos industriais na América do Sul deve atingir um valor de US$ 1,32 bilhão por volta de 2022, aponta um relatório da Persistence Market Research. A expectativa é que o setor de mineração leve o mercado no Brasil a crescer 8,6% ao ano no período de 2016 a 2022, em termos de receita.

O crescimento das atividades de mineração no país vai impulsionar o setor de explosivos industriais a atingir essa Taxa Composta de Crescimento Anual (CAGR, na sigla em inglês) nos próximos anos. Nesse período projetado pelo relatório, o uso de agentes explosivos no Brasil deve registrar um aumento de 6,8% em termos de valor.

De acordo com a Persistence, o Chile deve deter uma fatia de 29,8% do mercado de explosivos industriais em 2022, a maior entre os países da América Latina. Na sequência, virão Peru e Brasil. O uso de agentes explosivos no Chile deve aumentar em função de custos mais baixos e devido à boa estabilidade do país no transporte desse material, segundo o relatório.

O mercado de altos-explosivos na América Latina deve expandir com uma CAGR média de 4,5% em termos de volume, no período calculado pela Persistence, na comparação com o mercado de agentes explosivos, que deve registrar CAGR de 5,6% nesses seis anos projetados.

“O aumento no PIB é um dos principais indicadores que impulsiona o mercado. O mercado de explosivos industriais no Brasil, com o aumento exponencial do PIB [da América Latina], deve registrar o maior crescimento de receita durante o período projetado”, diz o relatório.

O relatório da Persistence Market Research “Latin America Market Study on Industrial Explosives: Metal Mining Sector to be the Largest Consumer during the Forescas Period 2016-2022” foi divulgado ontem (29) pela empresa. O documento, em inglês, pode ser adquirido no site da Persistence.

www.persistencemarketresearch.com

Fonte: Notícias de Mineração Brasil