Cooperação no setor de mineração entre União Europeia e países latino-americanos é tema de workshop no Chile

O Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, do Ministério de Minas e Energia, Carlos Nogueira participou do Workshop UEEU-Latin American Dialogue on Raw Materials, ocorrido nos dias 25 e 26 de abril, em Santiago do Chile. Além de estreitar o diálogo entre os países da União Europeia e da América latina (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai), o evento tratou de parcerias estratégicas nos setores de mineração, bem como a elaboração de um plano de ação para implementar a cooperação.

O encontro internacional que sediou o intercâmbio de informações sobre o setor mineral, também contou com a presença do diretor-presidente do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Manoel Barretto. Temas como tecnologia, serviços (saúde e segurança), governança, comércio, investimento, infraestrutura, pesquisa e inovação, formação e habilidades de consultoria, além da identificação de diferentes instrumentos de financiamento, também foram abordados na ocasião.

A Comissão Europeia estabeleceu, em 2010, uma metodologia para identificação de matérias-primas consideradas essenciais para a região. A avaliação foi baseada na metodologia quantitativa utilizando os critérios de importância econômica, risco de abastecimento e risco ambiental de cada país pesquisado. O risco de abastecimento, por exemplo,  incluiu componentes, tais como a estabilidade política e econômica, o grau de concentração da produção, o potencial de substituição e a taxa de reciclagem. O relatório apresentou uma lista de 14 matérias-primas essenciais: antimônio, berílio, cobalto, fluorita, gálio, germânio, grafite, índio, magnésio, nióbio, metais do grupo platina, elementos de terras raras, tântalo e tungstênio.

Tendo por base a dependência da indústria europeia da importação de commodities minerais que se concentram em poucos países, como Brasil, China, Rússia e África do Sul, desde 2011, a União Europeia desenvolve um programa denominado “Dialogue on Raw Materials”, afim de garantir o seu acesso a estas matérias primas essenciais.

Fonte: CPRM