Mineradora supera produção mensal de Vanádio na Bahia

A Largo Resources bateu mais um recorde mensal de produção na mina Maracás Menchen, na Bahia, em setembro. A companhia disse no dia 3 que produziu 806 toneladas de pentóxido de vanádio, superando em cinco toneladas o recorde anterior de 801 toneladas, alcançado em junho.

“A Largo continua a focar em atingir uma produção consistente com a capacidade nominal, ou acima dela na mina Maracás Menchen. A quebra de recordes de produção associada à capacidade de produção de baixo custo da Largo em produzir vanádio mostra a dedicação da companhia ao sucesso do empreendimento”, disse o presidente e CEO da Largo, Mark A. Smith.

Em agosto, a companhia produziu ao todo 746 toneladas de vanádio. Segundo comunicado divulgado ontem, a produção de agosto foi marginalmente inferior ao esperado devido a problemas no sistema de instrumentação. No início do mês, um desamonizador [equipamento que retira amônio do processo] apresentou problemas. “Tanto a questão do desamonizador quanto uma manutenção programada na planta foram resolvidos e concluídos e a companhia produziu dentro ou acima da capacidade no restante do mês”.

O preço do pentóxido de vanádio (V2O5) teve alta de 40% até agosto, quando o preço médio foi de US$ 3,35 por libra, saindo de US$ 2,38 no fim de dezembro de 2015. Contudo, o valor ainda é considerado baixo. Em janeiro do ano passado, o produto teve preço médio de US$ 5,03 por libra, segundo dados do Metal Bulletin.

A Largo controla a mineradora Vanádio Maracás, que fica no município baiano de Maracás. De janeiro a agosto deste ano, a mineradora exportou 4.660 toneladas de vanádio. Com informações da Largo e da Metal Bulletin.

Fonte: Notícias de Mineração Brasil