Países recebem investimento para mineração sustentável

Cepal e Alemanha fecharam parceria que deve beneficiar cinco países da América Latina

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e o governo da Alemanha fecharam uma parceria com o objetivo de promover iniciativas público-privadas em prol da mineração sustentável. Os países que receberão o aporte de 4,5 milhões de euros da Alemanha no projeto são Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru.

De acordo com nota da Organização das Nações Unidas (ONU), o investimento do governo alemão será destinado para atividades desenvolvidas no âmbito da cooperação com a Cepal, além de fornecer recursos humanos e materiais. Do orçamento que será liberado, até cerca de 1,1 milhão de euros ficarão à disposição da comissão regional. Segundo a ONU, o projeto quer a iniciativa entre autoridades ambientais, empresas e sociedade civil.

"Nesta aliança, a Cepal recorre ao know-how da Alemanha em diversas áreas. Ao mesmo tempo, a Alemanha complementa seus projetos bilaterais com diferentes países latino-americanos através desta cooperação com a Cepal para participar do diálogo e da aprendizagem conjuntos sobre políticas e estratégias relevantes para o desenvolvimento econômico, social e ambiental da região", disse a secretária-executiva da agência da ONU, Alicia Bárcena.

A dirigente anunciou a iniciativa de cooperação na representação do país europeu em Santiago, no Chile, onde também fica localizada a sede da Cepal. O encontro contou com a participação do embaixador alemão na nação latino-americana, Rolf Schulze, que descreveu o organismo regional como "um sócio estratégico".

"O papel da América Latina e do Caribe no contexto global está adquirindo cada vez mais importância. O governo atribui grande importância à cooperação com esses países", disse o representante do Estado alemão.

Chamado "Cooperação regional para uma gestão sustentável dos recursos minerais nos países andinos", o programa estabelecido entre a Alemanha e a Cepal será implementado pelo Instituto Federal de Geociências e Recursos Naturais (BGR) da nação europeia e pela Agência de Cooperação Alemã (GIZ).

A comissão da ONU irá trabalhar como contraparte regional da parceria. Segundo a Cepal, a nova iniciativa de cooperação dá continuidade a outro projeto de mineração sustentável que envolveu as mesmas organizações e foi concluído em setembro do ano passado.

No encontro em Santiago, também foi anunciado pela Alemanha a liberação de 1 milhão de euros adicionais para o financiamento do programa de cooperação conjunto para o biênio 2016-2018. Com a liberação do montante, a verba chegará a 5 milhões, dos quais 3,2 milhões ficarão sob responsabilidade da Cepal. O dinheiro deverá ser usado em iniciativas alinhadas à Agenda 2030 da ONU.

O plano conjunto bienal é executado pela GIZ e tem como meta a integração dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) às agendas nacionais de Estados-membros da Cepal. Também está prevista pela estratégia a produção de dados e indicadores que permitam medir o cumprimento dos ODS.

A Cepal afirma que, até o momento, os resultados deste outro programa têm sido positivos, com a implementação de políticas fiscais verdes no Equador, na Guatemala e na Colômbia, a criação de políticas de proteção social em diferentes países, a elaboração de estratégias para lidar com a mudança climática no Chile e no Peru e para proteger as florestas no Brasil.

Fonte: Ibram